Manias e apps

Eu tenho um problema muito sério com interfaces. Muito sério.

Algumas vezes, algumas delas, me incomodam ao ponto de eu sentir fisicamente que algo está errado. Muito errado. É como se uma parte do corpo – que não existe – estivesse colocada de forma desconfortável bem ali na minha frente. Desconfortando. Imagine sentar a mesa e apoiar a mão na mesa com as costas da mão, dobrando a mão pra dentro, entende? É algo assim.

Esses incômodos incluem o papel de parede do computador, a fonte usada para ler e escrever qualquer coisa (viva os livros digitais!). Inclui ainda cores em geral, disposição e tamanho de parágrafos, risquinhos de detalhe quando estou fazendo um desenho, o ponteiro do mouse e a cor que as coisas ficam quando selecionadas. Além de alguns outros.

No capítulo 2 descobrimos que, além disso, o incomodo é sempre temporário. O que hoje está perfeito e harmonioso, amanhã precisará ser trocado urgentemente antes de eu começar a fazer qualquer coisa que seja.

Uma das coisas que mais tem que me incomodado ultimamente, agora que estou nessa de “vamos escrever para valer, neste caralho” é o ato de produzir o texto em si. Ao longo dos anos eu fui saltando de uma jeito para o outro. No começo usava editor de texto, tipo word, depois passei a usar a interface web do próprio blogger. Depois voltei pro editor. Depois passei a escrever na web do WordPress, aí testei outros editores de texto e fui indo e indo até chegar a este momento. Eu precisava de algo simples. Bem Simples.

Foi quando me dei conta que estou velho demais pra ter a idade que eu tenho e possivelmente também cheio de manias demais. Ainda assim, passei dos 30, tenho barba (ou “barba” segundo alguns especialistas), dor nas costas e leve tendência a guerra. É, isso, isso mesmo! Isso mesmo, nesse caralho! *tosse, tosse e xinga

Algo legal sobre envelhecer é que você eventualmente se dá conta que você não é o primeiro cabeçudo com quem isso aconteceu. Não é. Não importa o quão floquinho de neve você seja, alguém como você já esteve nessa situação que você está hoje. Vale para momentos de indecisão na vida. Vale pra você ser um babaca sem querer ser. Vale pra você não saber lidar com aquela crise da meia idade. Vale pros problemas de saúde. Vale pras suas manias que não são só suas e sim de uma parcela significativa da população, inclusive, tão significativa que existe sempre um app para isso!

E foi assim que descobri um programa (ou um app, se você for descoladão) chamado Byword. Colocando de forma simples, ele serve para escrever. Serve para escrever tranquilo, assim, bem bonzinho, sem distrações, só você o texto, às vozes a sua cabeça e o seu jeitinho especial. É um editor de texto minimalista que você muito provavelmente poderia emular se tivesse paciência para configurar um bloco de notas ou algo que o valha. Por outro lado, para você que não tem essa paciência – ou esse tempo a perder – ele pode ajudar. Eis um print de como estou escrevendo agora para você entender o que estou dizendo.

Entendeu? Não tem nada! Nada! Apenas o texto, você escreve, você consegue fazer algumas formatações simples e o esquema flui e funciona!

Bom, acho que por hoje é só. Resumindo, senhores e senhoras que nos leem, o recado de hoje é:

Não importa a sua mania, tem um app para te ajudar. Sempre.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: