Inception: A origem

Eu queria ter visto esse filme na estréia, mas acabei vendo só agora, não que os detalhes da minha vida sejam assim tão interessantes, quer dizer você tá lendo esse texto porque viu o título e o título é Inception: A origem e não “os detalhes da vida de sei lá quem”, né? Então sem mais enrolações, é sobre esse filme do qual gostei tanto que falarei nas linhas que se seguem.

Antes de começar, como de costume, se você não viu o filme fica tranqüilo que não vou dar um monte de informações e estragar o filme pra você. Só vou falar do que ele fala e porque acho que você deveria assistir.

Gostei mesmo do filme, apesar de achar que não ele não é do tipo que vai agradar todo mundo com a mesma intensidade. É um tipo de história que pode parecer confusa demais e até sem propósito, apesar de lidar com sentimentos e emoções que todo mundo conhece.

Inception conta a história de um mundo com uma tecnologia que permite entrar na cabeça das pessoas através dos sonhos delas. Lá dentro é possível roubar segredos, idéias, ou fazer a coisa mais difícil de todas: dar a inspiração pra uma idéia que você quer que a pessoa tenha. Esse processo de fazer com que uma pessoa tenha uma idéia que não vem dela, que é implantada lá, é chamado de Inception. Sendo assim, não precisamos ser ficar meditando no alto da colina com uns monges pra saber, só pelo título, que a história do filme se passa em torno dessa tentativa de plantar uma idéia na cabeça de alguém.

– Será que tem algum tarado me seguindo, disfarçando com a mão no bolso e olhando pra cima?

Na história são explorados os conceito de sentimentos, de subconsciente, da criação do mundo de um sonho, de sonhos dentro de sonhos, traumas e todas essas coisas que um mundo que existe dentro da cabeça de alguém pode ter. Mas não ache que o filme é uma viagem de LSD que não faz sentido, tudo é levado num ritmo para criar um filme de ação moderno, com coisas acontecendo o tempo todo.

Esse filme vem das mãos de Christopher Nolan, o mesmo mamífero de cunho cinematográfico que nos permitiu a existência de Amnésia, Insônia, Batman Begins, O Grande Truque e Batman: O Cavaleiro das Trevas. Se você já viu os outros filmes dele sabe que tirando os filmes do Batman, ele costuma trabalhar com enredos complexos, e quase sempre brincando com a cronologia.

Em Inception temos todas as características desse diretor, somada a um amadurecimento de estilo. Especialmente as cenas de luta não parecem que foram filmadas pela mesma pessoa que fez os filmes do Batman.

Eu vi um alguns comentários por aí falando que o roteiro isso, que o roteiro aquilo, que tem furos e sei lá o que, gente revoltada gritando, rasgando a roupa e batendo na própria bunda em desespero.

A minha opinião é que normalmente o Sr. Nolan trabalha com enredos complexos e eles sempre fecham certinho 100% e tal. Então, ele é um cara que tem certa experiência com isso, mas mais do que isso, no caso de Inception se formos considerar “os mundos” onde se passam a história, ou seja, em lugares que não são exatamente reais, dá pra dizer que é parte da história ignorar certas coisas. Inclusive, meu conselho (se é que você vai seguir conselho de um cara da internet que você nem conhece e que pode muito bem ser um tio de 50 anos de cueca), é que você deve seguir pela história sem ficar querendo analisar tudo.

Essa não é uma história em que as coisas precisam necessariamente estar 100% fechadas. É um tipo de história bem diferente de um filme como O Grande Truque ou Amnesia. Então não seja chatão (ou chatona) e se deixe levar pela história.

Não sei se esse filme acabou sendo tão interessante pra mim só porque acredito nessas coisas de sentimentos e porque eu sonho todas as noites. Mas vendo o sucesso de bilheteria e toda atenção que as pessoas deram pro filme por aí, acho que não. Acredito que esse filme é capaz de entregar uma história que oferece respostas (e não importa se são verdadeiras ou não) pra perguntas que todos nós nos fazemos: O que é aquela experiência de sonhar quando estamos dormindo e o que aquilo fala sobre quem nós somos?

Estar num sonho e achar que aquilo era realidade é algo que todo mundo já passou. Se esse assunto chama sua atenção, se você apenas gosta de um bom filme ação de ficção científica ou se você é uma tarada(o) pelo Leonardo DiCaprio, você vai gostar de Inception: A Origem.

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: