E3 2010 – Mega post das conferêcias

Eu acompanho a E3 desde não sei quando. Não que eu seja assim o Doutor Velhote, mas é sério, pra você ter uma idéia eu tenho aqui na minhas coisas uma revista falando da primeira E3, que foi em 1995 e um dos grandes destaques da feira foi Chrono Trigger e Donkey Kong Country 2. Pois é, acho que muita gente que joga hoje não sabe que jogos são esses, mas tudo bem hehehe. O que eu quero dizer é que essa época de E3 é uma época que me trás um monte de memórias e me deixa todo empolgado (mais do que o normal) com o fantástico mundo dos videogames.

Acho incrível como hoje em dia podemos acompanhar as conferências das grandes empresas ao vivo enquanto alguns de nós estão nas suas mesas em seus empregos fingindo que estamos trabalhando (é, quer, dizer, não to dizendo que… mas…). É legal também poder comentar, ver as coisas sendo ditas, na hora em que estão acontecendo, como se estivéssemos todos lá.

É legal também notar, especialmente nessa geração e nessa E3, onde os games estão e como eles evoluíram. Toda essa coisa de jogos cada vez mais cinematográficos e todas essas tecnologias de movimento indo cada vez mais longe. Acho demais ver como um amontoado de pixels que emitiam uns sons que davam pesadelos em algumas pessoas viraram essa coisa em alta definição e cheia de movimento e interatividade que temos hoje.

Mas chega de conversinha, meu objetivo aqui não é parecer um velho catatônico sentado na sua cadeira de balanço falando um monte de coisas que começam com “no meu tempo…”. Quero só falar sobre certas coisas que eu vi e achei legal e quero comentar com as pessoas.

Alguns diriam que eu devia arranjar coisa melhor pra fazer, mas, ei, cada um com seus problemas, tá? Vamos ao que interessa.

Conferência Microsoft

Essa eu não vi ao vivo, tava trabalhando, mas vi em casa, no mesmo dia, mais tarde. Me chamou atenção que os jogos mostrados eram apenas novas versões de coisas que já existiam, não que novas versões não possam ser legais e trazer novos elementos, nada disso, só esou dando uma “análise fria dos fatos”. Não me entenda mal, Call of Duty vai ser legal, Halo vai ser legal, mas são outras edições, divertidos, mas nada que que eu tenha muito mais a dizer. Um jogo que me chamou mais atenção foi etal Gear Solid: Rising, que não mostrou nada, mas só por ser de quem é acho que tem bastante potencial.

Acho que estrela da conferência da Microsoft o projeto conhecido agora como Kinect. Pra começo de conversa, que porcaria de nome horrível, Natal era bem mais legal, não?

Sobre os jogos, fica meio aquela sensação de um monte “jogos da Nintendo para Wii não feitos pela Nintendo e que não são pra Wii”, tipo uns clones que não parecem ter “pegado a pegada” (?!), tem uma coisa meio artificial, meio estranha. O que eu achei realmente interessante foram os jogos de dança com o corpo todo e aquele de exercícios da Ubisoft, e eu provavelmente não vou jogar nenhum dos dois, só achei interessante pelo conceito, por estar tendo fazer algo novo e não copiar alguma coisa que já existia.

E falando em copiar, a interface com o Kinect inegavelmente tenta trazer o mesmo “look and feel” da interface do Wii, tipo o posicionando das coisas como se fossem os canais, os sons e tudo mais. Não gosto muito disso, especialmente se você quer atingir um mercado que não vai comprar algo que eles vão reconhecer como algo que eles já tem. Mais do que isso, é importante desenvolver uma identidade própria, o objetivo é criar coisas ou simplesmente copiar o que está sendo feito e tomar como se fosse seu seguindo por um pensamento que torna tudo repetitivo e saturado? I gosto das possibilidades do Kinect, eu realmente acredito que coisas originais e legais podem surgir.

Ainda sobre o Kinect, nas demos eu notei um delay nervoso, delay esse que foi confirmado pelas pessoas que estavam na E3 e puderam testar os jogos. Inclusive tem uma entrevista do pessoal da Rare pro 1up falando que o objetivo é deixar o delay em não mais que 150 milisegundos no Kinect Sports. Espero que eles consigam, afinal um hardware como esse sem um controle de delay eficiente é um hardware que está destinado ao fracasso.

O controle por voz me deixou pensando, quais as capacidades daquilo e será que é possível mesmo só com a voz controlar tudo de forma eficiente? Falo isso porque nas demonstrações tinha sempre uma pessoa com um controle junto. E aquela coisa de dar ordens pro videogame começando com “Xbox…” alguma coisa, tipo “Xbox play music”, sei lá, minha mente insana já ficou imaginando como seria dar umas ordens nada a ver pro console tipo “Xbox… exploda!” hahaha ou ainda “Xbox… dance o cha cha como uma menininha” hahahaha “Xbox, cresça um bigode em você!” hahaha, desculpe, eu sou uma besta quadrada, eu sei. Mas ia ser demais. “Xbox, vá comprar pão e leite na padaria!” hahahaha “Xbox, voe como uma borboleta depois faça um pudim!” hahahaha

É… Continuando… desculpe hehehe…

Sobre o redesign do Xbox 360 achei que mais uma vez rolou aquela idéia de imitar mais ou menos o que as pessoas já conhecem e não propriamente criar nada. Eu, particularmente, na minha opinião, que é minha e pessoal (?!) acho o design original mais bonito. Esse novo é uma mistura de Wii com PS3 com o design original. Entendo que é um mercado de massa e tem que fazer as pessoas se identificarem com o produto e tudo mais, mas é de novo aquela história de que é importante criar mais do que seguir pra que as coisas tenham personalidade e tudo mais. E as pessoas adoraram que esse novo modelo é silencioso.

Conferência Nintendo

Gostei de ver o novo Zelda abrindo a conferência, mas fiquei feliz (e aliviado) mesmo quando li depois as impressões de quem jogou, comprovando que os problemas da demonstração da apresentação eram mesmo interferência do wireless. Os controles funcionam e são bem legais. Gostei de ver o novo Donkey Kong e gostei de ver o jogo do Mickey.

Não gostei muito do Kirby, não por nada, é uma coisa pessoal mesmo. Não vou com a cara dele e nunca gostei de nenhum jogo dele. Não é porque ele é uma bola rosa que fica engolindo os outros, é que eu sou chato mesmo.

Sobre o remake do Goldeneye, como a maioria das pessoas fiquei meio cético, com aquela cara de “pra que isso, mermão, tão maluco, véi?”. Lendo as impressões de quem jogoou, todos falaram muito bem do jogo, que ele incorpora um monte de elementos de jogos modernos, que os gráficos são os mais bonitos do Wii até hoje e que o Daniel Craig como James Bond no lugar do Pierce Brosnan causa estranhamento nos primeiros minutos, mas depois passa. Vamos ver.

Fiquei com uma sensação de falta de um grande jogo pro fim do ano que fosse da Nintendo, já que Zelda e donkey Kong são só pro ano que vem (Kirby não vale, nem vem).

Dos jogos para DS, honestamente, não lembro de nada agora e eu ir olhar pra lembrar seria sacanagem. A única coisa que eu lembro é de ver o trailer do Golden Sun novo e achar os gráficos bastante datados. Quem joga o DS sabe que os gráficos na telinha dele não ficam tão quadrados como ficam em um telão. Talvez tenha sido isso.

A grande estrela da conferência da Nintendo (e da própria E3 segundo alguns) foi o Nintendo 3DS. Eu pensei que a Nintendo fosse falar muito mais do que falou e que o projeto em si seria mais ousado ou que pelo menos a ousadia dele já estaria mais bem definida, tipo assim, como vai ser esse negócio? Todos aqueles demos deixaram a internet maluca, Star Fox 64, o Zelda Ocarina of Time, Metal Gear Solid 3, mas o único jogos que sabemos mesmo que está vindo é o novo Kid Icarus (que pareceu muito legal).

Achei legal a possibilidade de filmes e mais uma vez, confiando na opinião de quem esteve lá ao vivo, ver filmes em 3D na telinha do 3DS funciona muito bem.

Eu esperava que eles partissem talvez pra uma coisa mais doida, do tipo colocar dentro do aparelho uma funcionalidade de celular, ou pelo menos que dissessem se ele vai ter alguma mídia tipo cartucho ou se vai ser tudo vendido por download. Tudo o que sabemos é que ele tem um sensor de movimento com giroscópio, tem um 3D ajustável, um direcional analógico e que a conectividade vai ser importante.

Eu esperava (na verdade quase uma alucinação maluca, eu sei, já que estamos falando de Nintendo) que liberassem o kit de desenvolvimento pra todo mundo, mais ou menos no mesmo esquema que a Apple faz com o iPad/iPhone/iTouch. Abriria um novo mundo para o DS que poderia ser além de um videogame, uma plataforma para aplicativos.

No mundo pirata que não existe e que ninguém fala que conhece, algumas pessoas já fazem isso e é possível achar versões de programas de desenho, calculadoras científicas e ebooks para DS, mas imagina tudo isso legalizado, certinho e ainda em 3D?

Sobre as capacidade gráficas do console que tinham especulado que seria uma coisa quase alienígena, a Nintendo não falou nada e não que precise de fato, mas pelos demos da pra dizer por enquanto que estamos diante de algo mais poderoso no mínimo próximo a um Playstation 2, o que é muito legal.

E acho que isso é tudo.

Conferência Sony

Eu não vi o jogo do Brasil com total atenção, porque foi bem na hora da conferência da Sony. Desculpe, mas cada um com suas prioridades e a minha não é o Kaká. Nada contra quem gosta, que fique claro. A Sony começou a conferência falando do 3D e como ele era bonito e maravilhoso e como todos deviam comprar TVs 3D (o fato de a Sony ser uma das maiores fabricantes desse tipo de TV é só um detalhe, não seja ruim). Com essa nova (maravilhosa) TV 3D será possível jogar Killzone 3 em 3D.

Eu tenho um pouco de receio com as TVs 3D pela forma como a tecnologia está chegando. Honestamente não acredito que 3D com óculos seja a solução mais adequada para se usar em casa, no cinema é mais aceitável, mas em casa acho complicado, ainda mais quando uma tecnologia pra ver TV 3D sem óculos já existe. Acho que assim que a tecnologia que não precisa de óculos estiver estabelecida, barata e boa, só aí vamos ver a revolução das TVs em 3D. O discurso deles foi que esse ano será o ano em que o PS3 vai trazer o 3D para os jogos, para o universo para as coisas e tudo mais com um monte de jogos e um monte de updates para jogos que já saíram os tornando compatíveis com o 3D.

Existe muita discussão sobre a versão 3D dos jogos, porque pra gerar o efeito a alta definição tem que ir embora se não o processador não agüenta. Se você juntar a isso aquela história do óculos e que os preços das TVs 3D não são nada amigáveis, você pode ver nitidamente, em alta definição e em 3D a imensa maioria das pessoas preferindo alta definição do que TV 3D. Eu realmente não acredito que esse seja o ano da TV 3D.

Aí vieram aquele bando de tio velho maluco com aquele tom de simpatia, com uma postura semi machista comédia como se todos os gamers fossem um tio que bate na bunda da mulher enquanto joga god of war jogado no sofá com a barriga escorrendo daquele calção da adidas que tem um rasguinho no canto, manja? É engraçado, é legal de assistir, mas me faz pensar.

Do mesmo jeito que a Microsoft fez a Sony também mostrou uma pequena seleção de jogos com cara de “Jogos de Wii feitos pela Nintendo que não são pra Wii e nem foram feitos pela Nintendo” incluindo um jogo de esportes (agora com pescoços e braços, como foi dito com orgulho hehehe). Mas o que eu gostei foi um jogo chamado onde você controla um bruxo Sorcery, o jogo simplesmente usa uma daquelas idéias de jogo que nós estávamos esperando ser feita no Wii e que não foi feita até hoje. Controle uma varinha mágina e solte magias com o controle, simples assim.

Algo que me incomodou um pouco foi o discurso mesmo sobre bla bla bla nós é que temos os verdadeiros gamers e não sei o que e tirando sarro de certas coisas que a Nintendo fez sem mencionar diretamente a Nintendo, enquanto estavam no palco imitando a própria Nintendo. Não gosto desse tipo de postura, acho que é falta de profissionalismo e até um pouco ridículo, tipo assim, você tá tirando sarro do que você está copiando, é isso mesmo? Quer copiar e fazer melhor, porra que legal, mas tirar sarro é foda.

O preço do kit do Playstation Move e data de lançamento foram também divulgadas. Comparando com os preços do Wii, um controle já com o motion plus custa 35 dólares e o nunchuck 15 dólares. No caso do Move, o que equivalente ao wiimote vai custar 50 dólares e o equivalente ao nunchuck 30 dólares. E não podemos esquecer também da câmera que é necessária e custa 40 dólares. Existe também um pacote com o Move Sports (sim, um clone de Wiisports, mas não exatamente isso), com o controle e a câmera que vai custar 100 dólares. Ou seja, é um grande investimento que para os olhos de um consumidor comum oferece a mesma coisa que outra empresa já oferece por um preço mais baixo.

Me chamou atenção também ver sem medo de ser feliz eles colocando em vários vídeos e propagandas jogos usando 2 controles de movimento, ou seja o valor investido só continua a crescer. Num jogo para 4 jogadores pode muito bem acontecer de você precisar de 8 controles, imagina só (\o/).

Acho uma estratégia perigosa, principalmente porque não é levemente mais caro que a concorrência, é bastante mais caro que a concorrência. Seja lá como for, jogos vendem hardware, então se houverem jogos bons e jogos bons não é mostrar o que as pessoas comuns vão olhar e dizer “porra, mas eu já tenho o Wii que tem esse jogo, pra que comprar outro?” Tem uma história que ouvi uma vez em algum podcast (não lembro qual, desculpe) sobre um cara que tava na fila do lançamento do Playstation 2 e uma mulher chegou e perguntou:
– Porque essa fila enorme, meu filho? O que tá havendo?
– Ah, é o lançamento do Playstation novo!
– Mas o que ele tem de diferente? Ele não roda jogos igual ao outro?
– Roda, mas os jogos são mais bonitos!
– Como assim? Eu tenho que comprar outro aparelho que faz a mesma coisa que o que eu tenho só porque os jogos vão ficar mais bonitos? Que estupidez, isso é uma enganação! É uma fraude!

O público casual pensa diferente, e se a postura toda é pra atingir o público mais amplo eles tem que pensar diferente. Seja lá como for, acho improvável que o Move faça o PS3 vender mais que o Wii. Na pior das hipóteses pelos menos vamos ter o controle de movimento sendo usados em idéias que estamos esperando ver no Wii desde o dia que ele foi lançado, como o caso do Sorcery, ou no Resident Evil 5 e em todos os shooters que virão daqui pra frente, porque falem o que quiserem as pessoas revoltadas, é muito melhor atirar com um controle como o do Wii do que usando dois analógicos. Mas se você discorda, não vai precisar arrancar os cabelos, já que a política da Sony é incluir as duas opções de controle nos jogos.

Houveram alguns boatos, sobre o anúncio do PSP2, mas no lugar vimos que eles vão tentar convencer as pessoas a comprar PSPs com uma campanha focada em um moleque mal educado. Não faz o menor sentido pra mim, faz sentido pra você?

É, pois é. Enfim, ao lado dessa campanha mostraram que um monte de jogos vão sair nos próximos meses onde a maioria deles são continuações de coisas que já tinham saído. Nada contra continuações, tipo o outro God of War ou o Patapon 3, mas não acho que essa linha de jogos e essa campanha de marketing vão mudar alguma coisa sobre a imagem e posição do PSP. Pra mim foi só uma enrolada a mais com mais uma leva de jogos que vão agradar ao público fiel do console, o que não quer dizer que os jogos não serão interessantes nem nada disso, mas que o PSP2 tá em vias de ser anunciado e tudo mais, isso já sabemos que está.

A demonstração do Little Big Planet 2 foi bonita e tudo mais, mas eu tenho um certo receio com esse jogo. É legal criar jogos, é legal jogar os jogos dos outros e o Sackboy tem tanto carisma quando um hamster de smoking (e eu não estou sendo irônico), mas acho que é uma diversão pra poucos. A grande maioria das pessoas não tem saco pra ficar criando jogos, elas querem jogar e isso é um problema porque as que gostam de jogar só vão poder jogar se a comunidade fizer jogos, então acaba existindo uma quantidade pequena de jogos que são realmente legais, dentro da quantidade pequena de jogos que são feitos pela comunidade. Nas é legal ver a evolução das coisas e é uma iniciativa interessante de qualquer forma.

Aí o resto da conferência foi o anuncio do serviço online Premium pra quem quiser aquele plus a mais (?!), um monte de exclusividades temporárias (leia-se demos uma grana pra esse pessoal) de jogos que são sequências de coisas que já existem, a data de lançamento do Gran Turismo 5 e a revelação de Portal 2, e de Twisted Metal 3. E sobre tudo isso, eu não tenho nada a dizer.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: